Notre Dame – Como esta fica

Notre Dame – Como esta fica.

Meu primeiro contato com Notre Dame, foi por meio de uma História em Quadrinho do Almanaque do Tio Patinhas de número 12 publicado em 1966, onde existia um fantasma na Catedral de Notre Dame, que pegava as moedas atiradas no poço dos desejos e que no final descobriram que era para construir uma maquete da Catedral toda em moedas, arte esta que conquistou o Velho pato Patinhas.

Curti muito o filme, “O Corcunda de Notre Dame” de 1939 dirigido por William Dieterle, baseado no romance de Victor Hugo, cuja mensagem e mais importante para mim no romance era a mostra do inicio da “imprensa”, onde por meio dos jornais murais mostrava a mídia impressa como meio de aglutinar as pessoas. Percebida pelo Rei como uma poderosa arma no futuro.

E é claro que Notre Dame passou a fazer parte do meu repertório, principalmente anos mais tarde nos estudos de História da Arquitetura.

Em minha primeira viagem para a Europa, viagem daquelas que você vê uns tantos números de países em pouco tempo, ocorreu um fato que a semiótica explica, que é a entropia de imagens. Eu já tinha passado por vários monumentos e igrejas europeias e quando tive o meu primeiro contato com a Catedral de Notre Dame, foi uma decepção. Decepção de quem encontra um mito e não era tudo aquilo que imaginava.

Das outras vezes que voltei em outros momentos de maneira mais dedicada, pude realmente perceber as riquezas de detalhes e a importância dela dentro do contexto, com suas gárgulas e seus vitrais. Uma obra de arte que marca um período da civilização.

Talvez por sua importância histórica é que em tão pouco tempo depois do incêndio do dia 15 de abril de 2019, já tinham várias doações que chegavam a quase 1 bilhão de Euros.

Torço para que as novas tecnologias de construções possamos ter de volta e acessível a Notre Dame, também por outro lado, fico pensando se a Catedral como era já não cumpriu o seu papel na história e que até devemos deixar como ela esta agora e preserva-la mesma destruída, assim como existe a Cúpula Genbaku no Parque Memorial da Paz de Hiroshima, que é a prova viva das loucuras dos homens com a bomba atômica.

A Catedral de Notre Dame será o simbolo da necessidade de desenvolver sistemas mais eficientes de controle de fogos em edifícios históricos.

Paulo Pinhal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *