Quem perde e quem ganha ?

Quem perde e quem ganha ?

Existe vários estudos comprovados de que quando você urbanisticamente analisa o Mapa da Violência (locais onde mais ocorrem conflitos) e o Mapa da Cultura (Locais onde existem equipamentos e atividades culturais) e faz o cruzamento entre os dois, fica claro que onde existem equipamentos e atividades culturais o índice de violência é baixo ou nem existe, pelo contrario os lugares mais violentos da cidade são desprovidos de atividades culturais.

Podemos afirmar que fazer cultura é reduzir a violencia urbana.

No episódio do SESC e do Casarão do Chá me fica a pergunta: Quem esta ganhando com isto ?

O laranja escolhido que foi cooptado por alguém ou algum partido de oposição, pois as suas respostas são as mesmas e pelo texto se vê que ele esta sendo instruido e falando de fazer a coisa certa de acordo com a justiça.

A justiça anda meio desacreditada em nosso País, pois os nossos maiores representantes da justiça não são bons exemplos de conduta. Acabam legislando em causa própria e assistimos sem esperança as decisões que mexem com a vida de todo o povo brasileiro.

Por outro lado vemos como a cultura é tratada, onde para conseguir alguma coisa ainda temos que recorrer da ajuda do governo, pois nas últimas décadas a “politica de ignorancia geral” tem imperado. A sociedade teve uma lavagem cerebral com relação a cultura e hoje não sabe aceitar um classico ou seja: Uma ópera é chata e um fuck é legal.

A cultura abraça todas as linguagens em todos os níveis e é por meio dela que conhecemos as civilizações passadas. E por meio da cultura passada é que sabemos que é muito mais fácil controlar uma geração que pensa igual e que as reações são previsiveis: 1+1=2. Com conhecimento e cultura as reações são variaveis e imprevisiveis, tornando mais complicado de controlar: 1+1= 3 ou 4.

Quanto mais cultura para o povo mais dificil de controle pelos nossos governantes.

SESC em Mogi

Um trabalho que vem sendo construido na cidade, com várias audiencias públicas e manifestos espontãneos dos cidadãos. Uma ideia que só vai trazer benefícios para toda a cidade, criando oportunidades de acesso a cultura alem de contribuir para um aumento de atividades e empregos na cidade. Não podemos deixar que interesses politicos em nome de um “Justiça” acabem com esta oportunidade.

No passado tivemos situação semelhante com o VLT, (Veiculo Leve de Transporte de Jundiapeba a Cesar de Souza), e hoje sentimos que falta faz. Quem decidiu na época nem andava de transporte coletivo.

Casarão do Chá

Um ícone da arquitetura japonesa no Brasil que estava abandonada e que por mais que se envolvessemos colocando plásticos no telhado para não cair, não conseguiamos fazer progredir. Com o envolvimento da família Nagatani e a Associação do Casarão do Chá, acompanhamos os trabalhos que ocorreram com muita dedicação da família e pela vontade de restaurar um monumento.

Mais da metade dos mogianos não conhecem e os que conhecem ficam surpresos com a qualidade da obra e pela conservação que a associação vem fazendo.

Mais uma vez, em nome de uma “justiça” e uma “ nova politica” querem criar motivos para que sejam canceladas os cuidados que a Associação vem praticando com muita dificuldade. Imagino que as pessoas envolvidas nem conhecem o local e suas dificuldades de sobrevivencia. Mas como vai dar ibope, acabam encontrando meios de atrapalhar a vida de quem quer praticar a cultura na cidade.

O Casarão do Chá, palco de atividades nacionais e internacionais não deixa de ser um atrativo para o Turismo da cidade que contribui para a geração de empregos e consumo em nossa cidade.

Para mim entendo que quem sairá ganhando com esta justiça serão os “oportunistas de plantão” que tem bons salaríos pagos por nós, que tem o filho estudando no exterior e que só faz turismo internacional e ainda reclama que o brasileiro é sem educação.

Entendo a luta do nosso Secretario de Cultura Mateus Sartori e apoio o seu trabalho, pois em suas gestão e acões conseguiu elevar o número de pessoas com acesso a cultura. Entendo que para ele o SESC sera uma ferramenta para que tenhamos mais pessoas acessando a cultura e é claro com o Casarão do Chá temos mais uma obra importante preservada e um ponto turistico a mais contribuindo para o nosso municipio.

Se a “justiça” impedir este dois instrumentos, podemos dizer que a Violencia Urbana ganha.

Pessoal, me desculpe o desabafo, mas o que esta em jogo neste momento não são só a vinda do SESC e a preservação do Casarão do Chá. O que esta em jogo é o nosso direito de pensar, conhecer,refletir e o respeito pela vontade de todos nós que participamos das audiencias públicas.

Paulo Pinhal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *